Robert Fripp

Robert Fripp nasceu em 16 de maio de 1946 em Wimborne Minster Dorset Inglaterra é produtor, compositor e guitarrista mais conhecido como guitarrista e lider permanente do King Crimson seu trabalho se estende por cinco décadas cobrindo uma variedade de estilos musicais.

Fripp começou a tocar guitarra com 11 anos de idade ele diz que era surdo mas  com senso de ritmo, ele comentou sobre como lidar com tal obstáculo dizendo: ” a música para ser ouvida deseja que às vezes seja necessario personagens improváveis para dar voz a ela”

As noções básicas de guitarra foram ensinadas pelo professor Don, foi quando ele desenvolveu a técnica “cross-collection” que mais tarde iria se tornar uma tecnologia chave que é ensinada em “Guitar Craft”.

Em 1984 Fripp começou a usar um novo padrão de afinação que também seria oficial em sua Guitar Craft.

Fripp é canhoto mas toca guitarra com a mão direita.

Giles Giles and FrippSeu primeiro trabalho profissional começou em 1967 quando ele respondeu ao anúncio de um organista para cantar em uma banda formada pelo baixista Peter Giles e o baterista Michael Giles, embora sendo o cantor e organista Fripp conseguiu liderar dois singles e um álbum o joyful madness Giles Giles e Fripp.

Fripp juntamente com o baterista Michael Giles fizeram planos para a formação do King Crimson em 1968 com Greg Lake, Peter Sinfield e Ian McDonald seu primeiro álbum in the court of Crimson king foi lançado no final de 1969 para mistas revisões críticas por causa de diferenças musicais entre Giles e McDonald e o King Crimson se separou logo após o lançamento do primeiro álbum, Giles e McDonald naquele momento acreditavam que o King Crimson era seu até então porém Robert Fripp foi o único membro da banda que passou por vários line-ups antes de Fripp dissolver o grupo pela primeira vez em 1974.

Em uma fase menos ativa para o King Crimson Fripp trabalhou em uma série de projetos paralelos vindo a trabalhar com Keith Tippett (e outros que apareceram em registros do King Crimson) durante esse tempo ele também trabalhou com Van der Graaf Generator em seu álbum de1970, em to the ende he Aar and 1971, he got legless and 1972, evening star and evening star 1974 de Brian Eno, esses dois ultimos álbuns caracterizando experimentos com novas tecnicas incluindo um sistema de delay de fita com bobina dupla da Revox que viria a desempenhar um papel central na obra de Fripp, este sistema ficou conhecido como “Frippertronics” Fripp e Eno também tocaram juntos em vários shows na Europa em 1975.

Fripp passou algum tempo afastado da indústria da música na década de 1970 mais tarde enquanto ele cultivava um interesse no ensino de Gurdjieff por J.G. Bennett (estudos que mais tarde se tornariam influentes em seu trabalho com o Guitar Craft) Ele voltou para o trabalho musical como guitarrista de estúdio no primeiro álbum solo de Peter Gabriel em 1976, Fripp excursionou com Gabriel para apoiar o álbum mas permaneceu nos bastidores e usou o pseudônimo de “Dusty Rhodes”.

Em 1977 Fripp recebeu um telefonema de Eno para ele tabalhar em um álbum de David Bowie o “Heroes”, Fripp concordou em tocar guitarra no álbum um trabalho que iniciou uma série de colaborações com outros músicos, Fripp logo contribuiu com sua arte musical na produção do segundo álbum de Peter Gabriel e colaborou com Daryl Hall em spiritual songs, durante este período Fripp começou a trabalhar em material solo com contribuições da poetisa e compositora Joanna Mr. Walton e vários outros músicos incluindo Gabriel, Eno e Peter Hammill Place, Jerry Marotta, Phil Collins, Tony Levin e Terre Roche. Este material eventualmente se tornou seu primeiro álbum solo lançado em 1979 seguido pela turnê Frippertronics naquele ano, enquanto ele estava morando em Nova York Fripp contribuiu para álbuns e apresentações ao vivo de Blondie e Talking Heads e produziu o primeiro disco da Roche que continha muito da guitarra característica de Fripp. Uma segunda reunião criativa com David Bowie produziu distintas partes de guitarra em Scary Monsters (e Super Creeps) em1980.

Tambem colabororou com o baixista Busta Jones, o baterista Paul Duskin e o vocalista David Byrne ( Byrne é creditado como Absalm el Habib) enquanto ele estava à altura do que ele chamou de “divisão da turnê da nova onda de banda instrumental “sob o nome de League of Gentlemen bassist Sara Lee e o tecladista Barry Andrews Trummilate Toobad Johnny (mais tarde substituído por Kevin Wilkinson) o LOG excursionou por todo o ano de 1980.

No início de 1990 Fripp contribuiu com sua guitarra em sound for life forms (1994) pela The Future Sound of London & Cydonia (lançado em 2001),o The Orb FFWD  com os seus membros também trabalharam juntamente com Fripp e Brian Eno co-escrevendo e colocando a guitarra em duas faixas em um projeto de CD-ROM  em 1994, Eno criou os aspectos visuais do disco (efeitos de feedback de vídeo), foi uma grande decepção quando ficou pronto e Fripp lamentou sua participação, durante este período Fripp também contribuiu para álbuns de No-Man (a banda Porcupine Tree de Steven Wilson) e em (Boca Flower X 1994 e 1996 respectivamente).

1981 acontece a formação do King Crimson junto com Adrian Belew, Bill Bruford e  Tony Levin com um album com o nome de “discipline”, o grupo sentiu que sua música conquistou o publico com este “novo método” depois de lançar três álbuns mas se separaram em 1984.

Durante este período, Fripp fez dois registros com seu velho amigo Andy Summers , Fripp e Summers tocaram todos os instrumentos porem os albums foram mais dominados por Summers que produziu os álbums.

Em 1982 Fripp produziu e tocou com The Roches que eram semelhantes ao seu hóspede anterior David Bowie Scary Monsters (que também impulsionou Pete Townshend e Chuck Hammer para a guitarra sustain) no estilo de guitarra “skysaw” que caracterizou este período da pedagogia Fripp.

Foi oferecido a Fripp um cargo de professor na Sociedade Americana para a Educação Contínua (ASCE) em Claymont Court West Virginia em 1984, ele havia se envolvido com a ASCE desde 1978 e acabou servindo em sua diretoria e foi considerada a idéia de Frip para ensinar guitarra. Seu curso Guitar Craft começou em 1985 um dos resultados foi o grupo “The League of Crafty Guitarists” que lançou vários álbuns em 1986, ele participou da primeira de duas colaborações com os seus membros Hustru Toyah Willcox California Guitar Trio, são ex-membros os  Federal Crafty Guitarrists e Gitbox Rebellion inclui vários ex-alunos da California Guitar Trio que também excursionaram com o King Crimson.

Fripp retornou ao estudio de gravação em 1994 com uma versão digital atualizada do Frippertronics que em vez de fitas para criar os “laços” de Fripp lançou uma série de itens que ele chamou de “Soundscapes”. Nas gravações soundscapes o funcionamento interno da música não é tão claramente postas a nu como são.

As colaborações de Fripp com David Sylvian tem um pouco de sua guitarra mais exuberante, Fripp contribuiu com vinte minutos na canção “Steel Cathedrals” com sua alquimia, um registo do álbum de 1985.

Em algum momento no final de 1991 Fripp pediu a Sylvian para se tornar vocalista para reformar o King Crimson mas Sylvian recusou o convite porem sugeriu uma possível relação entre os dois mais tarde, que se tornaria em uma turnê no Japão e na Itália na primavera de 1992. Em julho de 1993 Sylvian e Fripp logo convidaram Trey Gunn para entrar no King Crimson e quase Jerry Marotta se tornou membro na bateria quando o grupo excursionou para promover o futuro CD o membro Pat Mastelotto assumiu o lugar de baterista e o documento ao vivo foi lançado em 1994.

No final de 1994 o King Crimson foi para sua quinta encarnação acrescentando Trey Gunn e Pat Mastelotto  em uma configuração conhecida como “double trio.”

De 1997 a 1999 e novamente em 2006 a banda King Crimson “frakctalised” em cinco grupos chamados “Projekcts”.

Em 2000 lançaram um álbum de estúdio The Construkction of Light from a sixth flax Eupen of King Crimson (Robert Fripp, Adrian Belew, Trey Gunn e Pat Maste lotto).

Em março de 2004 uma setima line-up foi concebida e Tony Levin retorna para substituir Trey Gunn.

Em 2004 Fripp entra em turnê com Joe Satriani e Steve Vai com o Trio G3.

Robert Fripp trabalhou na Microsoft Studios para gravar  os sons e criar atmosferas no final de 2005 e início de 2006 para o Windows Vista.

Fripp entrou para o Bill Rieflin Slow music improvisation project  com o guitarrista Peter Buck, Fred Chalenor (baixo acústico), Matt Chamberlain (bateria) e Hector Zazou (teclados) este grupo de músicos saiu em turnê na costa oeste dos EUA em maio 2006.

Em outubro de 2006 o Projekct Six (Robert Fripp Adrian Belew) tocaram em locais selecionados na Costa Leste dos EUA abrindo para o Porcupine Tree.

Fripp contribuiu com paisagens sonoras para algumas canções do Porcupine Tree, Fear of a Blank Planet, he is on track, “The road from here”  que são parte do EP “Nil recurring ” que foi lançado em 2007…

Eduardo Piloto