John Abercrombie

John AbercrombieJohn Abercrombie é amplamente considerado como um dos guitarristas mais versáteis e talentosos na era do jazz pós-guerra. Ele era procurado como sideman por inumeros bandleaders incluindo Gil Evans e Gato Barbieri na década de 1970 e depois formou seu próprio grupo de jazz fusion, Timeless no início de 1970. Em 1975 ele formou o Trio Gateway com Dave Holland e Jack DeJohnette. Colaborou intensamente com DeJohnette na década de 1980 tocou e gravou uma volumosa quantidade de material incluindo o aclamado trabalho feito com Ralph Towner e liderou um quarteto com Michael Becker.
Começando por volta de 1974 Abercrombie é uma figura inovadora dentro do jazz e que faz uso criativo de dispositivos de distorção com timbres únicos e utiliza elementos do bop, rock e free jazz em seu som característico. Seu controle cuidadoso de tonalidade de côr é especialmente evidente em suas performances duo com o violonista Ralph Towner. Ele atravessa as fronteiras entre a liberdade e a estrutura, seus tons escuros, linhas escorregadias toques de mistério e melancolia em contextos que variam entre trios e grandes bandas . Embora ele seja conhecido por suas meditações “spaçe-out” sua música tambem baseia-se firmemente no jazz mainstream.

John L. Abercrombie nasceu em 16 de dezembro de 1944 em Portchester NY. Abercrombie começou a ter aulas de violão aos 14 anos de idade a partir de um professor local embora tenha aprendido quase tudo sozinho. Ele frequentou a Berklee School of Music em Boston entre 1962-1966 onde estudou violão com Jack Petersen. Tocou em bandas de rock na década de 1960 mas também excursionou com o organista Johnny “Hammond” Smith em 1967 e 1968. Participou de uma turnê com uma banda estabelecida com Smith desenvolvendo experiência prática que o ajudou a aprimorar seus estudos acadêmicos  se  preparando para seu próprio sucesso. Suas influências musicais eram Jim Hall, Bill Evans, Sonny Rollins, John McLaughlin, Larry Young, Jack McDuff, George Benson, Pat Martino e John Coltrane.

Abercrombie mudou-se para Nova York em 1969. Devido a sua técnica incomum com seu instrumento ele não teve problemas para encontrar oportunidades para tocar com músicos bem estabelecidos entre 1969 e 1974 ele tocou com Randy e Michael Brecker, e excursionou com a Banda Chico Hamilton. Em turnê com  Hamilton, ele esteve na Europa pela primeira vez participando do Festival de Jazz de Montreux. Depois de tocar com Hamilton juntou o jazz com rock aliado a Billy Cobham no album Spectrum onde pela primeira vez ganhou ampla atenção de fãs e de músicos. Hard-driving Cobham foi ideal para a imaginação prodigiosa de Abercrombie e sua técnica magistral, nesta fase inicial de sua carreira ele foi capaz de expandir seus horizontes musicais e desenvolver sua técnica a fundir sua experiência jazzistica com a guitarra do rock. Ele também tocou com Jeremy Steig, Gil Evans e Gato Barbieri  enquanto gravava com Dave Liebman.

John-Abercrombie-Timeless-Abercrombie formou seu próprio trio, Timeless em 1974 e gravou o álbum Timeless. Neste momento ficou claro que ele havia se afeiçoado a um estilo mais moderado e experimental. Ele atuou como sideman  com Jack DeJohnette e fez incursões no jazz através de dispositivos de distorção como o deslocamento de fase e pedal de volume com a guitarra elétrica e ocasionalmente com bandolim elétrico. Em meados dos anos 1970 ele foi descobrindo a sua “pegada” única e inovadora se aproximando do fusion com um suave estilo, mais delicado. Ele substituiu o trio Timeless com o trio Gateway em 1975 que incluiu Dave Holland e Jack DeJohnette. Em 1978 o trio foi substituído por um quarteto que durou até 1981. Depois que o trio se desfez Abercrombie continuou a colaborar e gravar com DeJohnette ao longo dos anos 1980 e 1990. Ele fez importantes contribuições para conjuntos liderados por DeJohnette e também participou em numerosas sessões de gravação com ele.

Abercrombie é citado por muitos por ter ajudando a criar o “som ECM” ( gravadora ECM) que consistia em uma miscelânea de sons acústicos e elétricos criados por músicos ecléticos que combinam jazz com elementos europeus e asiáticos / indianos e influências. Abercrombie gravou com Ralph Towner, january Hammer, Dave Holand, Mike Brecker, Dave O Beirach, George Mraz, Peter Donald peter, Marc Johnson, Adam Nussbaum, Peter Erskine, Vince Mendoza  e Jon Christensen entre outros.

Abercrombie não gosta do fato de ele ter sido rotulado como um modernista que não pode tocar padrões de swing ou jazz mais tradicional. Ele disse a Hadley, “Tantas pessoas hoje ouvem meus registros da ECM principalmente os anteriores onde algumas das músicas são muito “spacey” e não-harmônicas e eles não fazem idéia que eu cresci tocando Green Dolphin Street com um trio de órgão. Eu acho que é uma das razões que me mantêm voltando para o formato tradicional com o órgão.” Abercrombie faz pausas ocasionais com seu trio de órgão ele remontou seu historico trio Gateway com DeJohnette e Dave Holland em 1995 para gravar e fazer uma turnê pela Europa. Ao descrever a Hadley como era tocar com DeJohnette e Holland ele disse: “É como se alguém jogasse você em uma sala com estes grandes elementos e dissesse: ‘Vá em frente, você pode fazer o que quiser aqui”. ” Abercrombie também trabalhou com o baterista Peter Erskine e o baixista Marc Johnson em uma relação de longa data que floresceu novamente durante uma turnê em 1995 na Europa. Hadley descreveu Abercrombie como um “guitarrista de classe mundial”. John Abercrombie continuou a participar de diversos trabalhos com  varios músicos dentro do universo do jazz fusion e atualmente continua em atividade.

John Abercrombie-withing a song“Within A Song” comemora o espírito de descoberta que iluminou o jazz dos anos 1960 com John Abercrombie declarando sua lealdade musical em um album com seu novo quarteto que presta homenagem a uma gama de influências iniciais incluindo Miles Davis, John Coltrane, Bill Evans, Ornette Coleman , Sonny Rollins e Jim Hall. “Esta foi a música que me falou. Quando ouvi isso foi como encontrar um novo lar.” O grupo reunido especialmente para esta produção, gravado no Avatar Studios de Nova York em setembro de 2011 com Joe Lovano (sax) convidado como o parceiro ideal para  Abercrombie. Juntos eles exploram sentimentos profundos desses grandes clássicos do jazz moderno com seu novo line-up, John Abercrombie- guitarra, Billy Drewes- saxofone, De Drew Gress- baixo, Joey Baron- bateria…

Eduardo Piloto

Anúncios

John Coltrane

John-ColtraneDurante os anos 40 e início dos anos 50 tocou em casas noturnas e em gravações com músicos como Dizzy Gillespie, Earl Bostic e Johnny Hodges.  Coltrane ganhou destaque quando entrou para o quinteto de Miles Davis em 1955.
Um saxofonista de jazz revolucionário e inovador John Coltrane nasceu em 23 de setembro de 1926 em Hamlet Carolina do Norte.
Está longe de ser um exagero dizer que Coltrane estava destinado a ser um músico. Ele estava cercado por música quando criança, seu pai, John R. Coltrane manteve sua família como alfaiate mas tinha uma paixão pela música, ele tocou vários instrumentos e nutria o amor do filho pela música.
Os Primeiros contatos de Coltrane com o jazz vieram através dos registros de Count Basie e Lester Young. Com a idade de 13 anos em seu primeiro contato com o sax ficou evidente que ele tinha talento para tocar. O jovem músico gostava de imitar os sons de Charlie Parker e Johnny Hodges. A vida de sua familia tomou um rumo trágico em 1939 quando o pai de Coltrane avós e tio morreram deixando a família aos cuidados de sua mãe Alice que encontrou trabalho como empregada doméstica. Grandes problemas financeiros definem esse período na vida de Coltrane, sua mãe e alguns outros membros da família se mudam para Nova Jersey na esperança de encontrar um melhor salário.  Coltrane permaneceu na Carolina do Norte vivendo com amigos da família até se formar no colegial.
Em 1943 ele também se mudou para o norte na Filadélfia para tentar se tornar realmente músico. Por um curto período de tempo ele estudou música nos estúdios Granoff bem como a Escola de Música Ornstein. Mas com o país no auge da guerra Coltrane foi chamado ao dever e serviu um ano em uma banda da Marinha no Havaí. Foi durante o seu serviço militar que Coltrane fez sua primeira gravação, com um quarteto de companheiros marinheiros.
Após o seu regresso à vida civil, no verão de 1946 Coltrane chegou a Filadélfia onde ao longo dos próximos anos passou a conviver com um  bom número de bandas de jazz.
john-coltraneUm dos primeiros foi um grupo liderado por Eddie “Cleanhead” Vinson, com quem Coltrane tocava sax tenor. Mais tarde se integrou a banda de Jimmy Heath, onde o jovem músico começou a explorar plenamente o seu lado experimental.
Em seguida no outono de 1949 Coltrane assinou contrato com uma big band liderada por Dizzy Gillespie permanecendo com o grupo durante um ano e meio.
Coltrane havia começado a conquistar espaço mas com a chegada da década de 50 ele também começou a experimentar drogas, principalmente heroína. Seu talento lhe rendeu empregos mas seus vícios faziam com que muitas vezes  acabassem prematuramente. Em 1954 Duke Ellington o trouxe para substituir temporariamente Johnny Hodges mas logo o despediu por causa de sua  dependencia. Após perder a posição na banda de Ellington Coltrane recuperou-se tendo grande chance quando Miles Davis pediu-lhe para se juntar ao seu grupo o Miles Davis Quintet. Foi um enorme reconhecimento do talento de John Coltrane,  ofereceu ao saxofonista o tipo de espaço musical e mental que ele precisava.
Davis se sentiu encorajado a impulssionar os limites experimentais de Coltrane, e mais Davis se responsabilizou por seus hábitos com drogas.
Armado com um contrato novo na Columbia Records Davis levou sua banda para o estúdio. Os próximos anos se mostraram frutíferos para a banda, com  álbuns como: The New Miles Davis Quintet (1955) e ‘Round About Midnight (1957). Em 1957 Davis demitiu John Coltrane que havia falhado em desistir da heroína. Se esse foi o impulso exato que Coltrane finalmente precisava para ficar sóbrio não é certo mas o saxofonista finalmente fez chutar seu vício em drogas. Ele tocou uma temporada de seis meses com Thelonious Monk e em seguida embarcou em sua carreira solo.
Nesse período Coltrane criou um som definido, surgindo da  capacidade de jogar várias notas de uma só vez, criou o que viria a ser apelidado como sendo suas “camadas de som.”
Coltrane as descreveu assim: “Eu começo no meio de uma frase a mover em ambas as direções de uma só vez.”
John_ColtraneEm 1960, Coltrane teve sua própria banda, um quarteto que incluía o pianista McCoy Tyner, o baixista Jimmy Garrison e o baterista Elvin Jones. O grupo conhecido como John Coltrane Quartet produziu alguns dos álbuns mais notáveis do jazz incluindo Giant Steps (1960) e My Favorite Things (1961)
o último álbum que especialmente catapultou Coltrane para o estrelato.  Ao longo dos próximos anos Coltrane foi elogiado e em menor grau houve critica a seu som. Seus álbuns deste período incluíram Duke Ellington & John Coltrane (1963), Impressions (1963) e Live at Birdland (1964).
Mas foi 1965 com A Love Supreme que foi o registro mais aclamado de Coltrane. O álbum trouxe ao saxofonista dois prêmios Grammy pelo  desempenho e composição. Em 1964 Coltrane casou-se com a pianista de jazz, Alice McCloud que viria a tocar em sua banda. Coltrane escreveu e gravou uma quantidade considerável de material ao longo dos dois últimos anos de sua vida. Em 1966 ele gravou seus últimos dois álbuns a serem lançados enquanto estava vivo, Kulu Se Mama e Meditations. O ultimo álbum foi finalizado apenas um dia antes de sua morte. Ele morreu de câncer no fígado em 17 de julho de 1967.
O Impacto que Coltrane trouxe ao mundo da música foi considerável. Ele revolucionou o jazz com suas técnicas experimentais e mostrou uma profunda reverência para os sons de outras culturas, incluindo África, América Latina e India.
Em 1992, Coltrane foi agraciado com o Grammy Lifetime Achievement Award. Sua obra continua a fazer parte de trilhas sonoras para cinema e televisão, Em 1995 o United States Postal Service reconheceu o músico com um selo comemorativo porém o mais importante, o som de John Coltrane, que tem inspirado várias gerações de músicos e apreciadores de jazz com seu incrivel modo de tocar.

Eduardo Piloto

A Igreja de John Coltrane

Church of St. John ColtraneApreciação e amor pela música é mundial mas poucos reverenciam seus músicos favoritos como santos. Localizada no distrito de Fillmore de San Francisco a Igreja de John Coltrane reconhece o lendário saxofonista John Coltrane como um santo. Desde a sua abertura em 1971 a Igreja de cerimônias John Coltrane possui característica alegre e apaixonada, sempre repleta de pessoas. Muito diferente da igreja padrão utiliza o Jazz, mais especificamente a música de John Coltrane em louvor ao músico. Em sua tese a Love Supreme de John Coltrane declara a onipotência de Deus e “a necessidade que as pessoas devem ter Dele.” Devemos louvor a Deus e incentivamos o querido ouvinte a segui-lo no caminho justo …”
É uma tarde de domingo na Igreja de St John Coltrane o culto está em pleno andamento.
O fundador da Igreja Sua Eminência o Arcebispo Franzo King um homem alto vestido com uma batina branca e com  cachecol verde está dançando em frente a um ícone de estilo bizantino que retrata John Coltrane segurando um saxofone com chamas emergentes.
O filho do arcebispo Rev Franzo King Jr no saxofone tenor está tocando uma versão de Lonnie Lament, um coro liderado pela esposa de King D. Marina está cantando a Oração do Senhor acompanhando a música que a banda esta tocando ( sua filha Wanika está em baixo os acompanhando).
Trinta e tantos fiéis estão lotando o pequeno quarto o ar é denso com  cheiro de incenso, alguns estão dançando e batendo palmas e dizendo: Aleluia! enquanto outros estão sentados com os olhos fechados em meditação silenciosa.
Todos os domingos ao meio-dia a congregação se reúne para três horas de culto e jam session na igreja pentecostal. Hoje King está á frente, começando de joelhos com os olhos fechados e depois em pé e batendo no peito com o punho como Coltrane supostamente teria feito no palco. A banda e coral tocam jazz, gospel e funk (aparentemente eles às vezes até parecem mergulhar no reggae), isto é o que eles chamam de “exorcismo de som”.

O culto a  St. John ColtraneA congregação é uma mistura de negros e brancos, moradores e turistas são incentivados a participar seja para tocar um instrumento (alguns trazem seus próprios saxofones), cantando, batendo palmas ou batendo os pés, é difícil não se mexer  e não ser movido a participar.
A peça central da “liturgia Coltrane” é seu álbum de 1964 A Love Supreme o que a igreja chama de seu “testemunho”, na primeira parte de A Love Supreme o coro canta as palavras do Salmo 23. Quando chega à parte onde  Coltrane canta as palavras “A Love Supreme” mais e mais como um mantra o Arcebispo King anda no meio da congregação com um microfone. “Vamos ter um pouco de amor!” Ele grita. “Não basta levá-lo! Doê-o!”
Depois de quase duas horas de música o Arcebispo King começa seu breve sermão, intercalado com um hino à grandeza de St John Coltrane. King explica que “o homem estava falando com Deus como Salomão falou com Deus!” “Se você não está feliz você não está ouvindo Coltrane suficiente!” Diz ele. “Agradeço a Deus por Adolphe Sax! Deixe o espírito de Deus usá-lo!”
Não há nenhuma igreja como esta em qualquer lugar do mundo! E King grita enquanto começa a dançar novamente.

Eduardo Piloto

Pequena Historia sobre a evolução do Jazz

 LOUIS ARMSTRONGDiretamente influenciado pelo blues e das work songs que os negros norte-americanos entoavam trabalhando, do ragtime, e do negro spiritual.
O termo Jazz surge entre a as decadas de 10 e 20, descrevendo um estilo de música recem surgído em New Orleans, Chicago e New York. São considerados os primeiros músicos de Jazz os integrantes da Original Diexieland Jazz Band, Nick La Rocca (corneta), Jelly Roll Morton (pianista)
que se dizia o criador do jazz e também a Original Creole Band, King Oliver (corneta), Sidney Bechet (clarinete e sax-soprano). Louis Armstrong e Bix
Beiderbecke já arrasavam em chicago com seus trompetes e em New York  o notavel Fats Waller e e o talvez primeiro bandleader Fletcher Henderson.
Na decada de 30 ja estavam estabelecidas grandes orquestras, tal como as de Cab Calloway, Duke Ellington, Earl Hines e Count Basie.
Em meados da decada de 30 surge o Swing estilo bastante dançante, que  muito agradava  as pessoas naquela época de guerra.
1945 ano em em que surge o Bebop, estilo mais radical e que nem sempre cabia ao gosto popular, sendo radicalizado, o Bebop evoluiria para o Hardbop nos anos 50, sendo mais intelectualizado.
com uma maior abertura ás complexidades de um tempo um pouco mais liberal culturalmente surge o Free Jazz, a seguir inevitavelmente acontece a fusão do Jazz com o Rock nascendo assim o Jazz rock.
Nos dias de hoje todas as linguagens de jazz são cultuadas desde o Dixieland até o esperimentalismo, desde os Standards ate o Jazz Fusion.

Eduardo Piloto

Saudações

Aqui abordaremos temas referentes aos universos do Hard Rock 70, Rock Progressivo, Psicodelia e afins. Falaremos tambem um pouco a respeito de Jazz, Arte e Literatura em geral. Esperamos que gostem.
Sejam muito bem-vindos!!!